Contraceptivo masculino: Banho nos testículos neutraliza espermatozoides

De acordo com o UOl, Rebecca Weiss, uma inventora alemã, ganhou o prêmio principal do James Dyson Awards por um aparelho que “banha” os testículos e neutraliza os espermatozoides:

O artefato baseado em ultrassom que promete revolucionar os métodos contraceptivos, colocando os homens como os sujeitos a serem atendidos – e, assim, resolvendo uma velha crítica das mulheres, que sofrem com os efeitos colaterais de anticoncepcionais.

Graduada na Universidade de Munique, Wess criou o COSO, aparelho que usa ultrassom para paralisar temporariamente o movimento dos espermatozoides, segundo o site UPI.

Com poucos minutos de ação e a sensação apenas de um “banho” morno, o método ainda tem a vantagem de ser indolor. Ainda não há informações sobre possíveis efeitos colaterais adversos.

Leia mais clicando aqui.

Luiz Felipe Salinas: Músico de rua ganha bolsa de estudos

De acordo com o portal G1, o músico de rua Luiz Felipe Salinas Almeida, de 20 anos, que foi atacado com ovos enquanto tocava violoncelo em uma rua movimentada de Santos, no litoral de São Paulo, ganhou uma bolsa de estudos em Música após a repercussão da humilhação nas redes sociais:

O artista viaja de cidade em cidade tocando nas ruas e em comércios para sustentar o filho pequeno, de um ano.

Luiz Felipe Salinas

Luiz Felipe Salinas Almeida foi atacado enquanto tocava na Avenida Floriano Peixoto na semana passada. Ele estava em frente a uma loja de instrumentos quando alguém, em um dos apartamentos vizinhos, jogou os ovos em direção a ele e seu instrumento.

Leia mais clicando aqui.

Patrícia Cymerman: Bonecos Terapêuticos no Salgado Filho

Uma matéria do jornal Extra conta sobre a iniciativa de terapeuta ocupacional e brinquedista Patrícia Cymerman, idealizadora do projeto “Bonecos Terapêuticos” que está ajudando a pediatria do Hospital Salgado Filho, no Rio:

Brincar é muito mais do que um passatempo no setor de pediatria do Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, na Zona Norte. É também uma maneira de aliviar o sofrimento e o estresse das crianças devido à internação, principalmente quando se deparam, na brinquedoteca terapêutica, com brinquedos que representam o momento pelo qual estão passando. São bonecos e bonecas com as cabeças cobertas por curativos, braços enfaixados, pernas engessadas, prontos para serem submetidos a uma tomografia ou em cadeiras de rodas. A ideia é ajudar o pequeno paciente a entender o que se passa com ele e ao que será submetido, além de tornar o ambiente hospitalar menos hostil e mais acolhedor.

— A internação em si angustia a criança, que se afasta da casa, dos brinquedos e da família. Cada uma reage de um jeito. É uma ruptura com o dia a dia delas. Nosso trabalho é uma forma de minimizar esse trauma, esse impacto da hospitalização e trabalhamos com o que é inerente à criança, que é o brincar — explica a terapeuta ocupacional e brinquedista Patrícia Cymerman, idealizadora do projeto “Bonecos Terapêuticos”, que tem se mostrado um poderoso aliado no processo de cura.

Patrícia, que virou uma espécie de fadinha da pediatria, é quem customiza os bonecos, com ajuda de uma equipe de estagiários. Tudo começou em 2014, de maneira improvisada, quando a terapeuta costumizou um coelho de Páscoa para acalmar um pequeno paciente. Depois passou para uma Barbie e, em seguida vieram os heróis e as princesas. Hoje são mais de 40 bonecos e três maquetes que representam o centro cirúrgico, a enfermaria e o centro de tomografia e ressonância. Tudo feito de material reciclável.

Patrícia com Morenna Cavalcante, de 4 anos, que teve suspeita de hepatite medicamentosa e ficou uma semana no hospital (Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo)

Nem todas as crianças da pediatria participam do projeto. Em geral, são encaminhadas pela enfermagem aquelas que chegam mais traumatizadas, temerosas e resistentes ao tratamento. Os pequenos participam ativamente do processo de desconstrução do medo, ajudando a confeccionar o boneco que representa a sua condição de paciente. O brinquedo faz companhia a eles durante toda a internação e quando recebem alta podem levá-lo para casa.

Leia mais clicando aqui.

19 de Agosto: Dia nacional de luta da população em situação de rua

A ONG ‘RUAS’ promove, em 19.08.2021, dia nacional de luta da população em situação de rua, uma campanha para dar visibilidade à causa, de acordo com matéria do jornal O Dia:

Além das ações de vacinação que já vêm acontecendo, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), serão realizados, a partir de amanhã, mutirões de atendimento à população de rua.

Os mutirões irão oferecer orientações médicas, jurídicas, corte de cabelo, banho e cine-debates, com exibição de vídeos sobre saúde e prevenção a covid-19. Artes em estilo lambe-lambe também poderão ser encontradas pela cidade, no formato de uma silhueta de um corpo humano, em tamanho natural, com frases inspiradoras de pessoas em situação de rua.

“Esta data, que marca a chacina da Sé de 2004, é um registro de como as violências podem ser extremas contra quem vive nas ruas. Hoje, ela representa um motor na luta dos movimentos e organizações sociais, para que a população em situação de rua possa ter seus direitos garantidos, e situações como essa nunca mais aconteçam”, explicou Larissa Montel, gestora executiva do Projeto RUAS.
Nas redes sociais (Instagram e YouTube), o RUAS apresentará vídeos com atendidos da ONG sobre temas relacionados aos direitos à saúde, à moradia e à cidade. Cássio Peçanha, que vem fazendo um tratamento dentário com apoio do RUAS, é o primeiro entrevistado da série.

Na parte da manhã, o mutirão estará localizado em Copacabana, na lateral da Praça Serzedelo Correia e em Botafogo, na Praça Nelson Mandela. No início da tarde, os atendimentos passam a serem feitos no centro do capital, no Largo Carioca.

Já à noite, o mutirão está presente na Glória, na Rua da Lapa, em Botafogo, novamente na Praça Nelson Mandela, e na Barra da Tijuca, de forma itinerante.

A matéria foi encontrada aqui.

Jaqueline Góes de Jesus: Homenagem da Mattel

De acordo com o site Geledés, a biomédica brasileira Jaqueline Góes de Jesus foi uma das cientistas escolhidas pela fabricantes de brinquedos Mattel para ser homenageada com a boneca Barbie, por seu trabalho na pesquisa sobre o novo coronavírus:

Góes de Jesus fez parte da equipe responsável pelo sequenciamento genético do novo coronavírus dos primeiros casos de covid-19 na América Latina.

Além dela, outras cinco cientistas também foram homenageadas com a boneca, entre elas a britânica Sarah Gilbert, que liderou a criação a vacina de Oxford-AstraZeneca.

Apesar de jovem, ela só tem 31 anos, Góes de Jesus vem trilhando uma trajetória de sucesso no campo da biomedicina.

Natural de Salvador, filha de uma enfermeira e de um engenheiro civil, ela é atualmente pesquisadora bolsista da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), em nível de pós-doutorado, no Instituto de Medicina Tropical de São Paulo — Universidade de São Paulo (IMT-USP). Também desenvolve pesquisas na área de arboviroses emergentes.

A cientista é graduada em Biomedicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, mestre em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa (PgBSMI) pelo Instituto de Pesquisas Gonçalo Moniz — Fundação Oswaldo Cruz (IGM-FIOCRUZ) e Doutora em Patologia Humana pela Universidade Federal da Bahia em ampla associação com o IGM-FIOCRUZ.

Góes de Jesus e seus colegas, sob coordenação da imunologista Ester Cerdeira Sabino, conseguiram sequenciar o genoma do vírus SARS-CoV-2 apenas 48 horas após a confirmação do primeiro caso de covid-19 no Brasil — um tempo abaixo da média mundial, de 15 dias.

Leia mais clicando aqui.

Caio Augusto Siqueira: Ouro na Olimpíada Internacional de Física em 2021

Caio Augusto Siqueira

Matéria da Folha conta que o Brasil levou ouro na Olimpíada Internacional de Física, considerada a mãe de todas as competições científicas:

Quem subiu virtualmente ao topo do pódio foi Caio Augusto Siqueira, 17, um jovem talento que enveredou tardiamente para a física. Desde criança mais voltado às ciências exatas, ele chegou a ficar dividido entre a matéria na qual ganhou o ouro e a matemática.

“Comecei a perceber que, com a física, além de eu conseguir entender um pouco mais, sentia mais prazer. Sabe quando você está estudando alguma coisa e você não entende, só que tem prazer de querer compreender o que está rolando? Eu sentia isso na física”, explica.

Leia mais clicando aqui. A Olimpíada ocorreu remotamente entre 17 e 24 de julho de 2021 e por cinco horas os competidores tiveram que demonstrar seus conhecimentos sobre física moderna e mecânica quântica, na prova teórica, e sobre eletricidade e comportamento de dispositivos eletrônicos, na prova experimental.

Pandemia: Venda de livros em alta em 2021

De acordo com pesquisa feita pela Nielsen, em parceria com o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), houve um aumento de 46% na venda de livros entre os primeiros semestres de 2020 e 2021. Neste período, foram vendidos 23,3 milhões de exemplares, como conta a matéria do Monitor Mercantil:

A pandemia impactou diversos setores da economia e o mercado editorial foi um dos nichos mais atingidos pela crise, principalmente no primeiro semestre de 2020 por conta das medidas de restrição em lojas físicas. De janeiro a junho do ano passado, as vendas chegaram a R$ 729 milhões, neste ano, foram R$ 998, 5 milhões.

Para Eduardo Villela, book advisor e profissional com mais de 16 anos de experiência neste mercado, esta retomada se dá por conta da inovação que o setor vem apresentando para driblar a crise. “O e-commerce é uma realidade que já apresentava um crescimento expressivo muito antes da pandemia, e por conta do isolamento social, ganhou mais força pela facilidade e segurança para realizar compras”, diz.

Além disso, apesar do fechamento das grandes megastores como Saraiva, FNAC e da Livraria Cultura (em recuperação judicial), “as pequenas livrarias de bairro ganharam espaço pelo atendimento personalizado que oferecem ao consumidor”, enfatiza.

Leia a matéria completa clicando aqui.

Leia também:
Venda de ebooks salta 83% em 2020 e revela força dos livros digitais na pandemia
Séries impulsionam vendas de livros e substituem os filmes na preferência de escritores

Votorantim, SP: Sessões de cinema para pessoas em situação de rua

Matéria no TV Tem do portal G1 fala sobre a iniciativa de oferecer a pessoas em situação de rua sessões de cinema e shows de música em um abrigo de Votorantim, SP:

O dia-a-dia daqueles que procuram abrigo no Ginásio Willian de Souza Ferreira, em Votorantim (SP), ficou diferente. O local, que atende pessoas em situação de rua, agora também é palco de sessões de cinema e shows de música.

A ação, desenvolvida pela prefeitura, busca levar entretenimento e mais conforto para as pessoas que vivem no abrigo. Além de um teto, com camas, travesseiros, cobertores e comida, todos podem desfrutar de bons momentos com muita arte e cultura.

Duas vezes por semana, os acolhidos têm uma sessão de cinema e várias apresentações musicais. O secretário de Cultura e Turismo da cidade, Marcelo Domingues, explica que a campanha foi feita junto com artistas da região.

“Os artistas colaboraram e a gente conseguiu elaborar uma programação que está extensa já, com todos os tipos de linguagem. Vai de música, teatro, oficinas, literatura e, claro, cinema também”, diz.

(…) “Precisa que a gente enxergue essa pessoa como uma pessoa, um ser humano exatamente como a gente. Ela precisa de um olhar humanizado, ela precisa que você respeite inclusive a posição dela e o motivo de ela estar na rua”.

Leia a matéria completa clicando aqui.

Recife, PE: Ônibus de projeto social oferece banho, refeição e dignidade

Matéria na Folha Online fala sobre um projeto social que oferece banho para a população sem teto da Região Metropolitana do Recife:

Cassiano Silva de Lima ainda era garoto quando começou a participar das distribuições de comida promovidas pelo pai, o ex-jogador do Vasco da Gama Josué Benedito de Lima. Hoje, aos 42 anos, ele afirma que essa experiência o motivou a desenvolver o projeto social que oferece banho para a população sem teto da Região Metropolitana do Recife (RMR).

Empresário no ramo de ambulâncias, Cassiano conta que sempre quis se envolver em alguma ação beneficente, mas não sabia exatamente o que fazer. “Comecei então a observar que a população de rua não tinha onde tomar banho”, lembra.

Cassiano dividiu a insatisfação com quatro amigos e, em agosto de 2019, o trailer do Banho Recife, também chamado de Banho de Cidadania Recife, saiu às ruas pela primeira vez. No início, o equipamento atraiu muitos olhares desconfiados. “Várias pessoas ficaram com medo, achavam que era uma questão de polícia, ficaram um pouco com o pé atrás. Mas depois de um mês já se tornaram amigos”, lembra Cassiano.

A iniciativa ocorre todas as quartas-feiras, oferecendo corte de cabelo, banho (com direito a sabonete, xampu, condicionador, perfume e desodorante), kit de higiene (com camisinha, absorvente, creme dental e escova de dente) e marmita.

“O banho proporciona dignidade. Acho que depois de respirar, se alimentar e se hidratar, a maior necessidade da pessoa é o banho”, diz o empresário. Hoje são atendidas cerca de mil pessoas por mês, como Igor Ferreira, 22, e a esposa Ana Lúcia dos Santos, 23, que dormem na calçada no centro do Recife com duas filhas, de seis e um ano. O casal sobrevive de bicos e da ajuda de terceiros. “É legal ter esse projeto, porque tomar banho para quem vive na rua é muito difícil. As pessoas cobram, e nosso dinheiro é muito pouco”, diz Igor.

À medida que o projeto foi se tornando mais conhecido, vieram os pedidos para que fosse levado a outras localidades. O problema era que o trailer pesava mais de uma tonelada, o que dificultava o deslocamento. Os diretores então adquiriram um ônibus, adaptado com banheiros, armários e refrigeração, que passou a visitar outros pontos do Recife, além de Olinda, São Lourenço da Mata, Paulista e Jaboatão dos Guararapes.

Todo o trabalho assistencial é feito por voluntários. O grupo no WhatsApp conta com 170 participantes. “Quando eu preciso de alguma coisa, aviso lá no grupo. Não dou 24 horas para conseguir”, diz Cassiano.

Leia a matéria completa clicando aqui.

Turquia: Biblioteca comunitária com livros coletados do lixo

Uma matéria do site “A Grande Arte de Ser Feliz” conta a história de um grupo de coletores de lixo de Ancara, capital da Turquia, que decidiu abrir uma biblioteca comunitária com os livros que coletaram do lixo, após constatar que havia centenas de livros descartados nas ruas:

Tudo começou quando Serhat, 32 anos, resolveu reciclar os livros que encontrou na época, pois sempre sonhou em ter uma biblioteca. Aos poucos, seus colegas começaram a fazer o mesmo e acabaram conseguindo reunir livros suficientes para construir uma pequena biblioteca para uso interno dos coletores.

Nos meses seguintes, eles continuaram ampliando o acervo de livros e cogitaram a possibilidade de criar uma biblioteca comunitária para suas famílias.

Dessa forma, a prefeitura viabilizou e adaptou uma antiga olaria do bairro Çsankaya, que estava fechada há mais de vinte anos. Após a divulgação do trabalho de sucesso dos coletores, dezenas de vizinhos passaram a doar livros, catálogos e revistas para contribuir com mais opções para a comunidade.

Leia a matéria completa clicando aqui.

Bibliotecas comunitárias: Tesouro para diversas localidades do país

Uma matéria de Luciana Vaz no Ecoa UOL fala sobre bibliotecas comunitárias, que transformam a vida de crianças e adultos pelo país:

O agricultor e líder comunitário Josivaldo de Jesus, Seu Delo, como é conhecido, de 44 anos, não sabia nem ler nem escrever, mas sabia que era na leitura a chance de mudar a realidade da comunidade de Valérias, com cerca de 170 pessoas, em Heliópolis, na Bahia.

Há cerca de quatro anos, quando começou a frequentar as atividades culturais da comunidade vizinha, Massaranduba, em um espaço dedicado à leitura, música, artesanato e convivência comunitária, seu Delo viu nascer o sonho de criar um espaço nesses moldes em Valérias. “O sonho era buscar a melhoria na educação das crianças, jovens e adultos. Porque a gente que vive na roça não acha que tem capacidade, sabe?”

A partir de uma doação de livros, Delo construiu um espaço para abrigar esse tesouro, mesmo que precário. Foi só em meados de 2019, quando o professor de geografia Vilmario Sousa realizou seu estágio lá na comunidade de Valérias que ele e Delo tiveram a ideia de criar uma vaquinha virtual para construir não só lugar adequado para a biblioteca comunitária, mas também uma sala de aula – ou como Vilmário chama, de “espaço múltiplo de educação” – e alfabetização de adultos.

Leia a matéria completa clicando aqui.

Leia também:
Clara Beatriz tem 13 anos e criou projeto para incentivar a leitura

Tani Adewumi: Mestre de xadrez nos EUA aos 10 anos

Matéria no portal G1 conta sobre um menino de 10 anos que ganhou o título de mestre nacional de xadrez nos Estados Unidos, se tornando a 28ª pessoa mais jovem do país a alcançar esse título:

Tanitoluwa “Tani” Adewumi, nascido na Nigéria, aprendeu a jogar xadrez aos 7 anos e logo mostrou um talento nato nas competições.

Tani Adewumi

Em 2019, aos 8, ele se tornou o campeão estadual de Nova York na categoria jardim de infância até terceiro ano. Na época, Tani morava com a família em um abrigo para pessoas sem-teto.

Após a vitória, seu treinador, Russell Makofsky, criou uma campanha de financiamento coletivo para ajudar o garoto e seus pais. Em dois dias, a vaquinha arrecadou US$ 104 mil (mais de R$ 550 mil na cotação atual), com a ajuda de quase 1,8 mil doadores.

Leia mais clicando aqui.

Leia também:
Tani Adewumi sobre Magnus Carlsen, #ImpactChess e … o doce Curly-Wurly

Veja o vídeo:

Alzheimer: Vacina experimental passa pela fase 2

Segundo o site Gizmodo, uma vacina experimental inédita, projetada para proteger contra a doença de Alzheimer, passou pelo estágio de segurança nos testes em humanos, de acordo com o que relataram os cientistas em um novo estudo:

Além disso, o candidato a medicamento AADvac1, produziu uma resposta contra certos marcadores da doença.

O ensaio clínico de fase 2 envolveu 193 pacientes com Alzheimer leve, dos quais 117 receberam o AADvac1 e o restante agiu como um grupo de controle, recebendo um placebo. No estudo duplo-cego, randomizado, conduzido ao longo de 24 meses, aqueles que receberam AADvac1 tomaram a vacina em 11 doses e mostraram altos níveis de respostas de anticorpos imunoglobulina G (IgG). Os pesquisadores esperam que isso pode tornar o imunizante eficaz contra agregações de proteína tau prejudiciais no cérebro, que são consideradas uma das principais características da doença. O medicamento também não apresentou reações adversas clinicamente significativas.

“Até onde sei, esta é a primeira vez que uma imunoterapia com alvo na tau mostrou evidências claras de impacto no processo neurodegenerativo e uma forte indicação de efeito clínico em pacientes com perfil confirmado de biomarcador da doença de Alzheimer”, disse Petr Novak, autor do estudo, ao MedPage Today.

Leia mais clicando aqui.

No site Techmundo:

Apesar dos sinais promissores, destaca o time, ainda é cedo para comemorar. Isso porque, em toda a amostra, efeito significativo algum foi encontrado em testes cognitivos funcionais, assim como os resultados, além de atestarem exclusivamente a ausência de efeitos adversos, estão relacionados a uma pequena quantidade de indivíduos, especialmente os afetados pelo Alzheimer ligado à tau. Mais pesquisas, então, são necessárias.

De todo modo, em um subconjunto específico, 109 pacientes tinham maior probabilidade de positividade para os biomarcadores avaliados, e o fato é importante. Além disso, dúvidas são comuns na procura por algo que auxilie cerca de 35,6 milhões de pessoas no mundo atingidas pela doença, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde.

Leia mais clicando aqui.

Kit Água Camelo: Levando água tratada às comunidades do RJ

Uma matéria do site Ecoa do UOL fala sobre o grupo de estudantes do curso de Design da PUC-Rio que criou o Kit Água Camelo, um equipamento composto por uma mochila, um filtro portátil de água e um suporte de parede, que tem ajudado algumas centenas de famílias brasileiras a consumirem água potável no seu dia a dia:

Quase 35 milhões de brasileiros não têm abastecimento de água tratada em suas casas, segundo dados de 2019 do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento, do governo federal. A falta de acesso ao saneamento básico afeta a população mais pobre, situada nas periferias urbanas e em áreas rurais. Foi pensando nessa situação que um grupo de estudantes do curso de Design da PUC-Rio criou o Kit Água Camelo: a partir de um estudo sobre o acesso à água tratada nas comunidades do estado do Rio de Janeiro, o estudante Rodrigo Belli e seus colegas verificaram que os moradores normalmente precisavam atravessar quatro etapas para consumir um copo d’água seguro: captar, transportar, armazenar e, por fim, filtrar a água em casa.

O kit facilita enormemente o processo: permite captar até 15L de água, transportá-la com praticidade, armazená-la e realizar a filtragem, tornando a água própria para consumo disponível a qualquer momento.

Leia mais clicando aqui.