Câncer de intestino: Cães farejam tumores

De acordo com o site do jornal O Dia, um estudo publicado nesta segunda-feira [31.01.2011] no site da revista médica “British Medical Journal – BMJ” aponta que os cachorros são capazes de detectar câncer de intestino pelo olfato com grande nível de precisão, embora a doença precise estar na fase inicial:

Com base nas pesquisas, os autores revelam a existência de componentes químicos correspondentes aos tipos de câncer específicos que circulam pelo corpo humano e que um cão é capaz de farejar. Isto abriria, a possibilidade de desenvolver testes para detectar a doença antes de alcançar outras partes do corpo.

Para chegar a esta descoberta, foi feita uma experiência com um cachorro labrador adestrado, que realizou durante vários meses testes de olfato entre os quais o de farejar mostras de sedimentos dos participantes. As mostras pertenciam a 48 pessoas diagnosticadas com câncer de intestino e a 258 voluntários que não tinham a doença ou haviam tido câncer no passado.

Aproximadamente metade das amostras de voluntários procedia de pessoas com pólipos de intestino que, embora benignos, são considerados precursores de câncer de intestino Em 6% dos testes, uma de cada dez das mostras de sedimentos procede de pessoas afetadas com outros problemas intestinais, como doenças inflamatórias do intestino, úlceras, diverticulite e apendicites.

As de câncer de intestino foram extraídas de pacientes que padeciam de vários níveis da doença, entre os quais nas fases iniciais.

O cachorro identificou com sucesso quais eram cancerígenas, e quais não eram, em 33 de 36 testes e em 37 de 38 verificações a partir de sedimentos, com as maiores taxas de detecção entre as extraídas das pessoas que tinham a doença na fase inicial.

Isto equivale, segundo o estudo, a 95% de precisão, em geral, para as mostras e 98% no caso das dos sedimentos, frente aos resultados obtidos pelas colonoscopias convencionais.

Leia mais clicando aqui.

Anúncios

Menos bactérias no intestino, maior o emagrecimento

Fonte: jornal O Dia de 14.05.2010.

Análise do genoma salva bebê

De acordo com o site da BBC Brasil, um bebê turco de cinco meses gravemente doente foi salvo após cientistas terem completado rapidamente a análise de seu genoma e descobrirem que o diagnóstico inicial de sua doença havia sido equivocado:

Em um artigo publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, os cientistas relatam que a análise do genoma do menino foi feito em apenas dez dias.

Eles puderam ver então que o bebê tinha uma mutação em um gene que produziria uma doença nos intestinos.

Os médicos do garoto, que inicialmente suspeitavam de um problema em seus rins, puderam então tratá-lo.

Leia mais clicando aqui.

Liraglutida: Nova esperança contra a obesidade

O Globo Online publicou matéria sobre a Liraglutida, nova droga que promete sucesso contra a obesidade sem aumentar fatores de risco para diabetes do tipo 2 e doenças do coração:

Voluntários que tomaram uma nova droga contra a obesidade tiveram uma perda de peso considerável, de cerca de sete quilos, em 20 semanas, revelou uma pesquisa. A quantidade de peso perdida foi quase três vezes maior do que a de um grupo de controle e cerca de 50% maior do que a registrada em pacientes que foram tratados com um outro remédio, líder do mercado no tratamento da obesidade.

A droga, chamada liraglutida, é a primeira de uma nova série de remédios contra a obesidade que imitam a ação de um hormônio produzido naturalmente no intestino, reduzindo o apetite. Especialistas dizem que ela tem “grande potencial” porque reduz fatores de risco para diabetes do tipo 2 e doenças do coração.

Leia mais clicando aqui.

A cura da diabetes com uma cirurgia de intestino

Num dos telejornais da TV aberta nesta quinta, 19.02.2009 (infelizmente não anotei qual deles), uma ótima reportagem mostrou que uma cirurgia criada por um médico brasileiro (cerca de 6 anos atrás) pode dar até 95% de chance de cura de um determinado tipo de diabetes: os pacientes não precisam mais, após a cirurgia, de insulina e se livram das diversas complicações e restrições que a diabetes impõem. Achei na rede três matérias antigas a respeito:

Uma cirurgia no intestino é a nova arma na luta contra o diabetes

Cirurgia no Intestino: Nova Arma na Luta Contra o Diabetes

Estudo brasileiro cria chance de cura para diabete 1

Encontrando mais informações, inclusive o vídeo da matéria, publicaremos aqui no Somente Boas Notícias.

%d blogueiros gostam disto: